Jogos digitais ajudam eleitor a escolher candidato a prefeito.

18/08/2016 11:44

Por Daniela Frabasile

Projeto Brasil e Meu Município lançam três jogos que organizam informações sobre candidatos e planos de governo


 

 

 

A campanha para as eleições municipais deste ano começa oficialmente na próxima semana, e a partir desse momento, os eleitores começam a ser praticamente bombardeados pela propaganda eleitoral. Nesse contexto, a organização Projeto Brasil e o portal Meu Município se juntaram com o objetivo de facilitar a escolha dos eleitores por um candidato. Juntas, elas lançaram um jogo interativo esta semana e devem colocar no ar mais dois aplicativos até o fim de agosto.


“Apostamos na dinâmica de jogo porque além de incentivar as pessoas, ajuda a organizar a informação de uma forma lúdica. É diferente de colocar tudo em um PDF e dar para a pessoa ler. Assim, o eleitor é desafiado a pensar naquilo, ele não vai apenas ler e absorver”, contou Bruno Gonçalves, CEO do Projeto Brasil.


Tanto o Projeto Brasil quanto o Meu Município foram lançados em 2014, no calor da disputa presidencial. Os integrantes do Projeto Brasil desenvolveram uma plataforma que comparava as propostas de cada candidato e ainda trazia um “Teste Cego”, no qual o eleitor avaliava as propostas e, ao final, descobria de quem eram as propostas mais bem avaliadas. Já o Meu Município, focado em contas públicas, mostra através de uma plataforma interativa quais as receitas e os gastos de cada cidade.


“Em 2014, quando lançamos o Projeto Brasil, fizemos uma grande pesquisa para entender como os eleitores tomam a decisão do voto, e descobrimos que as pessoas avaliavam que o problema não era falta de informação, mas a forma como essa informação é organizada”, contou Bruno Gonçalves, CEO do Projeto Brasil.


A parceria para este ano, segundo Gonçalves, foi baseada nos objetivos em comum entre as duas organizações: “Mais transparência, mais controle da população e mais participação”, disse ele.


O primeiro aplicativo, que já está no ar, é o Raio-X Cidadão. O jogo apresenta perguntas relacionadas à mobilidade, segurança, educação, saúde, pobreza emprego e renda em determinado município – todas as capitais, além de Campinas e Guarulhos, no Estado de São Paulo. Por exemplo: “Quantos jovens (15 a 29 anos) morrem todos os meses em São Paulo vítimas de armas de fogo?”. O cidadão responde com um número de 0 a 10, e depois o jogo apresenta a resposta correta. Com base na pontuação de cada usuário, o jogo monta um ranking da semana. Segundo Gonçalves, a ideia é de que os cidadãos precisam, primeiro, entender os reais problemas da cidade, para só depois começar a discutir as propostas.


Os dados apresentados são de fontes oficiais e reconhecidas em cada tema: Pnad, IBGE, DATASUS, Mapa da Violência, por exemplo. “Para cada tema, fomos conversando com especialistas para determinar quais as melhores fontes de informação”, disse o CEO do Projeto Brasil. Nos três primeiros dias após o lançamento, a plataforma já contava com mais de mil usuários. Segundo Gonçalves, a expectativa é de que em duas semanas, com cerca de 20 mil usuários, seja possível fazer levantamentos de quais as cidades onde os cidadãos são mais otimistas e mais pessimistas quanto à administração pública.


Nas próximas semanas, devem ser lançados os outros dois aplicativos: o Meu Voto, no dia 20, e o Olioo, que deve estar disponível até o fim do mês. O Meu Voto será um aplicativo que compara as propostas e traz informações de histórico e declaração de bens dos candidatos a prefeito das 15 maiores cidades do país – nos moldes do que foi lançado em 2014 pelo Projeto Brasil. Além do comparativo, os eleitores também terão disponível o teste cego.


Em 2014, essas plataformas tiveram mais de 15 mil usuários, segundo Gonçalves. “As reclamações que ouvidos de eleitores é de que eles gostariam de se informar mais, mas as informações são muito densas, difíceis para se aprofundar”, contou ele. “Além disso, não havia uma ferramenta fácil para comparar as propostas.” As informações do Meu Voto serão tiradas dos planos apresentados pelos candidatos à Justiça Eleitoral.


Bruno Gonçalves explica o motivo de focar os trabalhos no poder executivo: “Tem mais informações, os candidatos a prefeito precisam entregar o plano de governo, mas a Justiça Eleitoral não pede nenhum documento com as propostas para os candidatos a cargos legislativos, por exemplo”.


Já o Olioo é um jogo que tem como objetivo fazer o cidadão entender a dificuldade de gerir recursos públicos. “A ideia é dar a perspectiva para o eleitor e mostrar que é necessário escolher. Se ele gasta muito em educação, aparece um alerta avisando que, para seguir determinada lei, ele precisa investir mais em saúde. O jogo mostra a dificuldade de equilibrar o orçamento com as regras”, contou Bruno Gonçalves.


E o que acontece depois das eleições? Segundo o CEO do Projeto Brasil, a ideia é continuar os trabalhos, criando plataformas para avaliar os serviços públicos e a gestão dos prefeitos. “Em 2014, a ideia era fazer o acompanhamento das promessas, mas tivemos problemas. Após a eleição, o governo precisa entregar o plano plurianual, e faríamos a avaliação a partir dele. Mas o plano só foi aprovado no fim de 2015, e o contexto apontava que o prosseguimento do impeachment era praticamente certo”, contou ele.


Para 2017, o projeto é criar uma ferramenta para avaliar o uso dos recursos públicos e a qualidade dos serviços oferecidos à população. “Pensamos em fazer um aplicativo em que o cidadão avalia a condição do ônibus, o quanto teve que esperar no ponto, qual a demora para conseguir atendimento em um posto de saúde ou hospital, se tinha médico disponível e se o atendimento foi bom, por exemplo”, disse Bruno Gonçalves. “Com isso, pensamos também que vai ficar mais fácil, em uma possível reeleição, avaliar se o político fez um bom mandato.”



Fonte: Época Negócios (http://epocanegocios.globo.com/Tecnologia/noticia/2016/08/jogos-digitais-ajudam-eleitor-escolher-candidato-prefeito.html).

Extraído em: 18/08/2016 às 11h17


Todas as notícias